Receita Médica Veterinária Eletrônica: é assim que funciona

Gerenciado no âmbito do Sistema Nacional de Informações de Farmacovigilância, o Receita Médica Veterinária Eletrônica (ou REV) não é a simples transposição da receita de papel, mas uma mudança substancial do anterior modelo organizativo e operacional de gestão de medicamentos veterinários, através da digitalização completa gestão da prescrição e movimentação de medicamentos veterinários. Introduzido em 2017 e com entrada em vigor em janeiro de 2021, o sistema inovador não introduz novas obrigações nem regras adicionais face à legislação em vigor, mas visa reduzir as obrigações, sempre que possível, recuperando informação a partir de dados já disponíveis nos sistemas de informação ministeriais. Vamos ver como funciona e quais são suas características.

O que ele substitui

A Receita Médica Veterinária Eletrônica substitui a versão impressa dos seguintes tipos de receitas veterinárias: receita vermelha em triplicado; receita branca não repetível; receita branca repetível; prescrição veterinário de alimentação medicada ou produtos intermediários. O novo modo de funcionamento permite ao médico veterinário prescrever medicamentos repetíveis e não repetíveis em uma única receita. No momento da dispensação pelo farmacêutico, o sistema irá gerir automaticamente qualquer repetibilidade da venda do medicamento.

O que não substitui

A Receita Eletrônica Veterinária não é aplicável a esses medicamentos veterinários, autorizados para comercialização no mercado italiano, contendo substâncias entorpecentes e psicotrópicas. Para este tipo de medicamento mantém-se a prescrição em papel.

Propósito de uso

Como já dissemos, a versão eletrônica da receita veterinária é exclusivomas dependendo do objetivo da receita o sistema varia as informações exibidas e as solicitações de emissão do documento. Pode ser usado por cirurgiões veterinários para os seguintes você usa: receita para alimentação do Rebanho Adequado (veterinário); receita de abastecimento do plantel da pecuária (para fazendas de gado); receita para alimentação do estoque de plantas não zootécnicas (como para instalações veterinárias, clínicas, etc.); receita de Prescrição Veterinária para animais DPA (sigla para Intended for Food Production); receita de Prescrição Veterinária para animais DPA destinados ao autoconsumo; receita de Prescrição Veterinária para PET (animais de estimação ou de companhia) e equídeos NDPA (ou seja, cavalo não destinado à produção de alimentos para consumo humano).

Validade e repetibilidade

Semelhante à prescrição eletrônica do paciente humano, a prescrição eletrônica veterinária também possui válido em todo o país, ao contrário do vermelho tradicional. Este último, aliás, só é válido na Região de residência, fora da qual se encontra o medicamento ou serviço dependente do cidadão.

A receita em triplicado não repetível (utilizada no caso de prescrição de medicamentos para tratamento de animais destinados à produção de alimentação humana) é válida para 10 dias úteisenquanto o repetível é válido 3 meses e pode ser usado 5 vezesa menos que instruído de outra forma pelo seu veterinário. A indicação de embalagens maiores que a unidade exclui a validade da receita. É possível prescrever uma única embalagem com receita repetível, indicando a repetibilidade no campo de observações. Para a receita não repetível em exemplar único, mantém-se a validade de 30 dias sem limite máximo prescritível de embalagens, ficando entendido que o veterinário deve limitar a quantidade ao mínimo necessário para tratamento e terapia, também em consideração ao número de animais.

Entre funções do farmacêutico existe ainda a necessidade de comunicar o registo de carga e descarga de abastecimentos de medicamentos veterinários aos médicos que possam obter stocks indispensáveis ​​a intervenções profissionais urgentes, a realizar fora da clínica.

Como comprar medicamentos com receita eletrónica

O novo fluxo de gestão de medicamentos de prescrição eletrônica prevê a digitalização completa de prescrição veterinária: este modo de operação inclui, portanto, a possibilidade de que a receita não ser impresso. Uma vez emitida pelo veterinário, de fato, a receita eletrônica é Disponível e rastreáveis ​​por meio de seus respectivos números de identificação e código PIN, que muda de receita para receita, garantindo assim o nível adequado de privacidade. Em alternativa, é possível recuperar a receita utilizando o respetivo PIN e os dados do titular da receita, nomeadamente: código fiscal do médico veterinário no caso de receitas do tipo Scorta Propria; código da empresa zootécnica (ou código de identificação da unidade epidemiológica), no caso de receitas do tipo Receita Veterinária DPA ou Receita para Acompanhamento de Estrutura Zootécnica; Código fiscal ou NIF do titular da receita no caso de receitas de Receita Veterinária tipo PET e equídeos NDPA; Código fiscal ou NIF do titular da receita no caso de receitas do tipo Receita Veterinária para equídeos DPA, animais DPA em explorações familiares ou animais não registados na BDN (Base de Dados Nacional); código da estrutura no caso de receitas do tipo Escort para uma estrutura não zootécnica.

EU’compra de medicamentos em vez disso, é dividido no seguinte estágios: o veterinário emite a receita eletrônica; o titular da receita (proprietário ou detentor dos animais) fornece ao farmacêutico os dados de identificação da receita; através do número da receita e PIN (ou dados do titular e PIN), o farmacêutico tem a possibilidade de obter a receita eletrónica online no sistema de informação do Ministério da Saúde e proceder à dispensação dos medicamentos.

Acessar e visualizar receitas

No que diz respeito aos proprietários e detentores de animais de estimação (PET), o proprietário ou detentor pode pesquisar e consultar as receitas veterinárias eletrónicas em seu nome através do Número da Receita e PIN, ou através do seu Código Fiscal e do PIN da receita. Nenhum registro prévio é necessário para usar este recurso.

Para o criadores e criadores de gado (DPA), o proprietário ou detentor dos animais pode solicitar credenciais de acesso ao Sistema Nacional de Informações sobre Farmacovigilância (acessando a seção apropriada no portal do Ministério da Saúde). Terá assim pleno acesso aos serviços disponibilizados pelo sistema para consulta da sua própria receita veterinária eletrónica, stocks autorizados na exploração, para consulta e utilização de protocolos terapêuticos, para registo de tratamentos e consulta do Registo de Tratamentos, e ainda para a gestão de dados e dados mestre de suporte. Em alternativa, pode pesquisar e consultar as receitas veterinárias eletrónicas das suas explorações através do Número da Receita e PIN, ou através do código da empresa zootécnica (ou código de identificação da unidade epidemiológica) e do PIN da receita. O registro prévio também não é necessário para usar esse recurso.

Similar Posts