Italgas aposta na água e no hidrogénio

Desenvolvimento digital e pró-hidrogênio de ativos de gás. Mas também água, com compras nas redes de água, e crescimento estrangeiro, no mercado grego. A Italgas traça o rumo para 2029 e com o plano industrial, apresentado em Londres pelo CEO Paolo Gallo, investe 7,8 mil milhões para apoiar este desenvolvimento que tem três objectivos: tornar o sistema energético seguro, verde e sem resíduos (também em apoio à os custos que as empresas e as famílias têm de suportar).

“Este plano é o nosso roteiro que leva ao futuro da energia e se desenvolve em três direções fundamentais: inovação, crescimento e sustentabilidade”, disse a presidente da Italgas, Benedetta Navarra, abrindo a apresentação do plano onde há espaço para um maior crescimento para as linhas externas (100 milhões) enquanto o compromisso para os concursos de distribuição de gás é de 1,5 mil milhões.

Não é à toa que a empresa inaugura uma temporada marcada pela diversificação. Depois de concluir a compra dos ativos de água da Veolia na Campânia, Sicília e Lazio, a Italgas pretende replicar o modelo de gás no setor e “espera aproveitar novas oportunidades de crescimento” com o objetivo de reduzir o desperdício em 20% com a digitalização.

Na frente italiana, para o desenvolvimento e modernização da rede italiana de distribuição de gás (com foco no transporte de biometano), estão em jogo 4,6 bilhões de investimentos: 1,6 bilhão para digitalização total (até 2024) que permitirá o controle remoto através da Dana (Digital Advanced Network Automation), o software proprietário. O plano inclui investimentos relativos à instalação do novo medidor pronto H2 (desenhado pela Italgas) a partir de 2025-2026. Medidores pró-hidrogênio. “Prevemos instalar 20 mil contadores prontos para hidrogénio até ao final de 2024”, sublinhou Gallo, explicando que “em 2029 teremos cinco milhões de novos contadores instalados”.

Na frente grega, onde a empresa começou a operar em janeiro, serão alocados quase mil milhões de euros (900 milhões) para o desenvolvimento da rede e a metanização (verde) das ilhas graças à experiência adquirida na metanização da Sardenha. A rede grega será ampliada de 7.491 quilômetros em 2022 para aproximadamente 11.000 quilômetros no final do plano (+47%).

No final do plano, a Italgas espera atingir um volume de negócios superior a 2,7 mil milhões e um Ebitda superior a 1,8 mil milhões. Quanto à política de dividendos, a empresa confirmou a redistribuição de 65% do lucro líquido por ação. O dividendo crescerá a uma média anual de 8%.

Na Bolsa, a cotação sofreu uma queda de 3% pela manhã antes de fechar nos 5,47 euros (-2,4%). Para Gallo, surpreso com a reação do título, «O plano deve ser entendido porque é diferente dos anteriores, mas o roadshow com investidores vai esclarecer. Não esperamos nenhuma recompra.” As estimativas de crescimento de um dígito de faturamento e EBITDA teriam preocupado as bolsas de valores.

Similar Posts