Profissionais atingidos pelas cheias, saiba como reclamar indemnizações

As recentes inundações que afetaram a Emilia-Romagna e, embora menos violentamente, a Toscana e as Marcas causaram danos ainda difíceis de quantificar no momento, mas certamente consideráveis. O governo está trabalhando remuneração de profissionais e autônomos que foram afetados, prevendo apoios do Estado que se integram com as demais medidas já implementadas e com as demais mobilizadas pelos fundos de pensões e fundos de solidariedade.

O pedidos de benefícios podem ser apresentados a partir de 15 de junho até 30 de setembro no site do INPS que, com a circular n.º 54, de 8 de junho de 2023, deu corpo ao disposto no decreto-lei n.º 61, de 1 de junho.

Quem tem acesso aos benefícios

público que pode solicitar compensação foi identificado por macro-categorias, em particular:

  • os trabalhadores por conta própria e profissionais, incluindo empresários
  • titulares de relações de agência e representação comercial
  • colaboradores coordenados e contínuos, doutorandos e bolseiros de investigação e doutores em formação especializada.

A indenização deve ser entendida pontual e é reconhecido para o período de 1 de maio de 2023 a 31 de agosto de 2023 aos trabalhadores que se enquadrem nas macrocategorias acima enumeradas e que atuem maioritariamente nos Concelhos para os quais foi decretado o estado de emergência (aqui a lista).

Quanto é o subsídio

A medida prevê um montante de 500 euros por cada período de suspensão do trabalho não superior a 15 dias e em qualquer caso não pode exceder 3.000 euros por trabalhador individual inscritos em qualquer forma obrigatória de segurança social a partir de 1 de maio de 2023.

Para a apresentação da candidatura é necessário apresentar toda a documentação exigida.

Como apresentar o pedido de indemnização e com que documentos

A candidatura pode ser submetida no sítio do INPS a partir de 15 de junho de 2023, acedendo à área “Ponto de acesso a prestações não previdenciárias” acessível a partir da secção “Apoios, Subsídios e Subsídios” / “Explorar Apoios, Subsídios e Abonos” menu / “Ferramentas” / “Ver tudo”.

Após a submissão da candidatura, a partir da mesma área do website será possível acompanhar o procedimento até ao pagamento do subsídio. Para acessar é necessário possuir o Spid ou a Carteira de Identidade Eletrônica (Cie) ou a Carteira de Serviço Nacional (Cns) e, alternativamente, você pode usar o Centro de Contato do INPS acessível através dos números 803 164 (da rede fixa) ou 06 164 164 (da rede móvel).

Além do requisito do domicílio, o requerente deve declarar os períodos em que a sua atividade laboral esteve suspensa devido à cheia, indicando detalhadamente todas as datas.

Você pode enviar um pedido para cada período de suspensão ou optar por combinar até seis no mesmo pedido.

Além disso, o requerente deve certificar sob sua própria responsabilidade que:

  • pertence às categorias de trabalhadores a que se refere o subsídio
  • residir e domiciliar-se num dos Concelhos em que tenha sido declarada a situação de emergência
  • para realizar seu trabalho principal ou exclusivamente em um dos municípios acima mencionados.

O padrão não inclui requisitos de renda, mas o INPS fará as verificações também com a ajuda de outros órgãos e outras instituições.

A audiência em númeroso

São mais de 33.000 profissionais cadastrados, ou seja, 10.800 cadastrados no INPS e outros 22.500 filiados a outros fundos e, segundo projeções do governo, cerca de 70% destes foram afectados por fenómenos atmosféricos adversos, ou seja, mais de 22.000 pessoas dos mais de 100.000 freelancers residentes nas áreas afetadas. A despesa total, entre gestão autónoma do INPS (18,9 milhões) e gestão não INPS (39,4 milhões) ronda os 60 milhões de euros, cerca de um quarto do teto de 253 milhões previsto para os apoios a desembolsar também a artesãos e comerciantes.

Similar Posts