Estudantes externos, é quando a despesa de acomodação é dedutível

O Texto Consolidado de imposto de Renda (Tuir), no artigo 15, parágrafo 1, letra i-sexies, prevê uma concessão importante para aqueles estudantes matriculados em faculdades distantes das cidades de residência. Muitas vezes os jovens encontram-se em dificuldades financeiras quando têm de sair de casa para estudar e esta lei foi concebida para lhes dar uma ajuda concreta. Mas qual é o incentivo garantido pelo texto consolidado? A medida refere-se ao dedução do irpef 19% sobre as rendas dos estudantes universitários. Uma preciosa facilitação para enfrentar os custos do aluguel.

Quem tem direito à dedução fiscal?

Em qualquer caso, a disposição não é estendida a todos estudantes, mas é estabelecida em alguns casos específicos. O aluno deve respeitar alguns parâmetros para usufruir do incentivo, que dizem respeito ao tipo de locação e, principalmente, à distância em quilômetros do corpo docente da universidade. Os contratos devem ser registados pela primeira vez ou confirmados com base na lei 431/1998, que regula o arrendamento de edifícios destinados a habitação. A dedução também é possível para os chamados contratos de hospitalidade ou para as escrituras de cessão em gozo ou arrendamento celebradas com instituições de direito de estudo, universidade, faculdades universitárias legalmente reconhecidas, organizações sem fins lucrativos e cooperativas. Nenhuma facilitação, no entanto, para sublocação ou para contratos que não cumpram a lei 431/1998.

A distância da universidade da residência estudantil

Outro parâmetro fundamental para obter a dedução é o distância que existe entre a sede da faculdade universitária frequentada e o município de residência. Se esta distância for inferior a 100 quilómetros, a concessão não se aplica. O incentivo também é válido para quem frequenta uma universidade sediada em uma província diferente da de residência. O objetivo da legislação, porém, é ajudar sobretudo aqueles que estão muito longe de casa. Conforme noticiado pelo jornal O sol 24 horasverifique a distância da universidade e o tipo de contrato, a dedução é devida todos os anos para despesas efectivamente pago (aplica-se o princípio de caixa) pelo aluno, na percentagem de 19% (sem franquia) e com um limite de 2.633 euros.

Como se aplica a dedução?

A dedução fiscal é calculada tendo sempre em conta o imposto bruto indicado no declaração de imposto. Isto significa que se o aluno, na sequência dos rendimentos produzidos, neste caso insuficientes, não conseguir deduzir a totalidade da despesa, perde-se a parte excedente. Para obter o benefício, uma autocertificação deve ser produzida. Um detalhe importante está relacionado ao titular da alugar. Não é obrigatório que este seja assinado pelo aluno, nem que ele pague o aluguel. A dedução é possível mesmo que os familiares estipulem o contrato e paguem o aluguel.

Similar Posts